• 13/Jul
  • 2016

Será a CBR 250RR?

Será a CBR 250RR?

Teaser confirma que nova esportiva bicilíndrica de baixa cilindrada da Honda entrará em produção

Vídeo postado pela subsidiária da Indonésia mantém características exibidas em protótipo no Salão de Tóquio

As especulações de que a Honda preparava uma ofensiva contra as bicilíndricas Kawasaki Ninja e Yamaha R3 não eram novidade, mas indício concreto só surgiu em novembro passado quando um protótipo foi exibido no Salão de Tóquio. Ainda entre os conceitos, um dos vários que a marca costuma mostrar na feira – sem necessariamente ter compromisso com a entrada em produção – a futura CBR sugeria que estava próxima de se tornar realidade por conta da riqueza de detalhes, incluindo diversos componentes “supérfluos” em para uma show bike e aparentemente prontos para produção.

Hoje um teaser do modelo de produção foi postado pela subsidiária da marca na Indonésia, país que ao lado de Tailândia e Vietnã é base de produção e exportações de modelos de baixa cilindrada para o restante do mundo. As imagens confirmam diversas características do conceito exibido sete meses atrás: motor bicilíndrico de refrigeração líquida, linhas de carenagem semelhantes ao design adotado na CBR 500R remodelada, suspensão dianteira invertida sem regulagens com tampas azuis anodizadas (também seguindo o padrão usado nas nova família 500), pinça de freio única na frente (com ABS, mas sem montagem radial) e painel digital.

Dois itens importantes o vídeo não confirma, o primeiro deles a nomenclatura, que não contém o número da cilindrada apesar de estar lá o “RR” especulado já há muito tempo e que a diferenciaria da antecessora monocilíndrica CBR 250/300R. A medida pode ser indicação de que haverá uma 250 para mercados asiáticos e uma 300 para os ocidentais, como já houve com a própria CBR e ainda hoje ocorre com a Ninja e a R3/R25. O segundo item sugerido no conceito e não confirmado no teaser estava no painel, que incluía um alerta “std” (abreviação de “standard”), geralmente usado em modelos que oferecem alternativas de ajustes como os de mapas de injeção. No painel do conceito, totalmente digital, também se pode ver o conta-giros para um motor “girador”, que atingiria 14.000 rpm antes da faixa vermelha e seguiria até 16.000 rpm, enquanto as concorrentes entram na faixa vermelha em 13.000 rpm e vão a 15.000 rpm. 

Mais fotos:

Deixe seu comentário:

Newsletter
© Tutto Moto Brazil
Desenvolvido por: